Must go: Inhotim

Provavelmente você já ouviu falar de Inhotim… Se não, deixe-me lhe apresentar… É o maior centro de arte ao ar livre da América Latina. Sede de um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do Brasil. Muitos se referem a Inhotim como museu a céu aberto, mas não gosto de me referir a ele apenas como um museu pois acho que limita e é muito mais que um museu.

Essa foi a terceira vez que fui e, garanto, é sempre uma experiência diferente. Fica em Brumadinho (60km de BH) mas parece que você está num mundo paralelo, tipo Alice no país das maravilhas, sabe?

Inhotim é enorme, imenso, gigante. Um dia não é suficiente para visitar todas as galerias e obras e absorver toda a energia mágica daquele lugar. Mas se souber aproveitar bem o tempo, dá para visitar bastante coisa em um dia inteiro. Lá é dividido em três eixos, um rosa, um laranja e um amarelo, recomendo escolher um e fazer todo o percurso e depois, os demais.

É tanta coisa maravilhosa que fica difícil eleger uma instalação preferida, mas duas obras específicas me chamaram mais atenção e mexeram comigo.

A primeira delas se chama Linda do Rosário, uma escultura da artista Adriana Varejão onde a arquitetura se associa ao corpo, e a “matéria de construção se torna carne”. É uma espécie de “muro vivo”, uma coisa incrível! É, sem dúvida, uma das obras de arte mais incríveis que já vi na vida. Foi inspirada no desabamento do Hotel Linda do Rosário, no centro do Rio de Janeiro, em 2002, cujas paredes azulejadas caíram sobre um casal num dos cômodos do prédio. É uma daquelas coisas que tem que ver. Onde: G7 – eixo laranja.

 

Outra obra que mexeu comigo de forma intensa foi a instalação Através, do artista Cildo Meireles. Desde o final dos anos 1960, Cildo Meireles vem se afirmando como importante voz na arte contemporânea. Seu trabalho é pioneiro no campo da arte da instalação e preza pela diversidade de suportes, técnicas e materiais, apontando quase sempre para questões mais amplas, de natureza política e social.

Através é uma espécie de labirinto construído por meio de objetos e materiais comuns do dia a dia; são objetos utilizados para criar barreiras, com os mais diferentes tipos de usos e cargas psicológicas: desde uma cortina de chuveiro – passando por um arame farpado – até uma grade de prisão, e muitos outros materiais de origem doméstica, industrial e institucional. Esses elementos se organizam geometricamente sobre um chão de vidro estilhaçado que reflete a luz focal do centro e produz diferentes tipos de transparência.

“Por meio de jogos formais com materiais cotidianos, o artista lida com questões mais amplas, como a nossa maneira de perceber o espaço e, em última análise, o mundo.  O convite é que o corpo experimente de perto esta estrutura, descobrindo e deixando para trás novas barreiras. Com sua conformação labiríntica e experiência sensorial de descoberta, Através e seus obstáculos aludem às barreiras da vida e ao nosso desejo, nem sempre claro, de superá-las.” Não preciso dizer mais nada né? Só vivenciando para entender. É permitido caminhar pela instalação, desde que você esteja calçado. Onde: G5 – eixo amarelo.

 

Inhotim é muito mais que um passeio, que um programa, que uma viagem. É uma experiência sensorial (e única), que usa e abusa de todos os nossos sentidos. Vale a pena cada segundo naquele lugar.

Dicas: Vá com um calçado e roupas confortáveis pois você vai andar muito lá. Leve uma garrafa d’água e alguns snacks pra comer no caminho. E não se esqueça do protetor solar. 😉

~

Serviço:http://www.inhotim.org.br/

Must go: Londrina/PR

Meu coração aperta só de lembrar dos dias deliciosos que passei nessa cidade linda e acolhedora ❤ Londrina é a quarta maior cidade do sul do Brasil, um tanto quanto distante da capital do estado, Curitiba, mas não deixa a desejar em nada. Fiquei impressionado com a organização e limpeza das ruas, sem falar na educação das pessoas. E opções do que fazer não faltam!

Comece o dia passeando pelo Jardim Botânico, depois uma parada na Pátio San Miguel para fazer um lanche, termine a tarde apreciando o pôr do sol no Lago Igapó e à noite, bons drinks no Oficina Bar. Esse seria um ótimo roteiro para um dia em Londrina. Só escrever já me fez suspirar… Suspirei de saudade, suspirei com as boas lembranças…

O Jardim Botânico de Londrina é uma das mais importantes unidades de pesquisa e conservação de espécies nativas e exóticas no Paraná, com mais de 1 milhão de metros quadrados de mata nativa, nascentes e rios. Vale a pena a visita!

img_6315
Vista aérea do Jardim Botânico

Pátio San Miguel é uma lanchonete/confeitaria incrível, com uma variedade enorme de doces e salgados (dá água na boca só de lembrar), tanta opção maravilhosa que a gente fica sem saber o que escolher! Fica aberta até às 23h nas segundas e terças e 24h o restante da semana, maravilhoso né? Bateu aquela larica no meio da noite ou saiu da balada faminto? Já sabe pra onde correr!

san miguel
Escolher a sobremesa na Pátio San Miguel não é tarefa fácil!

O Lago Igapó é um dos principais cartões postais da cidade devido ao seu espetacular espelho d’água. É uma das mais belas áreas de lazer de Londrina, com ciclovia e jardins em suas margens, e sua extensão abrange diversos bairros da cidade. O pôr do sol ali é um espetáculo à parte. Uma boa pedida é o açaí e os sucos (pra quem, assim como eu, não gosta de açaí) do Green Açaí, na orla.

11330744_693140427475422_1255951140_n
Pôr do sol no Lago Igapó

Oficina bar é um pub alternativo que tem uma carta de drinks variada a preços acessíveis e uma programação de música diversificada. O ambiente possui uma decoração bem descolada e um clima super descontraído. Uma ótima pedida pra curtir uma música e tomar umas. Sugiro experimentar o Mojito da casa.

HuTi2UtFF31u4hcJc7sLITUVOXkJfOneQ9p5du7i6r4=
Oficina Bar

Mas um dia é muito pouco nessa cidade que vibra durante o dia e pulsa à noite. Como opções do que fazer não faltam, seguem mais umas dicas valiosas.

Tem que dar uma volta pelo calçadão da cidade, é lindo! Lá tem réplicas das cabines telefônicas de Londres que dão um charme à cidade. Os táxis são vermelhos, coisa mais linda! Dá até vontade de deixar o Cabify de lado um pouquinho. Rs

img_6316
Calçadão de Londrina

Outro lugar que vale a pena dar uma passada é a praça Tomi Nakagawa, uma praça com decoração japonesa que faz referência à imigração na cidade. O nome é uma homenagem à Tomi Nakagawa, última sobrevivente do navio Kasato Maru, primeira embarcação com imigrantes japoneses a aportar em Santos, São Paulo, em 1908. Tomi morou em Londrina e faleceu em 2006.

img_5518
Praça Tomi Nakagawa

Para quem, assim como eu, não dispensa uma cerveja gelada e barata: Maria Vai Cazoutras Lounge Bar. É um bar friendly super gostosinho e aconchegante, e ainda tem ótimas opções de tira-gostos pra acompanhar, como a calabresa acebolada (salivei aqui kkk).

Tem que experimentar: bolinho de feijoada recheado com queijo no Confraria 115 (mais um bar 😅). Lá tem outras inúmeras opções de bolinhos que são uma experiência gastronômica, digamos assim rs.

Calma que também tem night gay, tem o Narciso Club e NY lounge. Me pareceram boas opções, mas como não tive tempo de ir, não posso falar muito. Mas estão na lista pra próxima parada em Londrina.

Se o seu negócio é fazer shopping, se joga no Catuaí Shopping. Opção é o que não falta por lá. Aproveite para assistir um filme com pipoca na sala VIP do cinema, garanto que não vai querer que o filme acabe nunca mais (mesmo sendo ruim 😅).

E se tiver com um tempinho sobrando, vá conhecer Rolândia, uma cidadezinha super charmosa a 22km de Londrina. Dá para ir de carro, de uber e até de ônibus. Lá, visite a igreja São Rafael (a estradinha até lá é simplesmente maravilhosa) e a Chácara Rolândia, que fica logo na entrada da cidade. Parada obrigatória pro almoço no Supermercado Juliana. Um self-service a kg maravilhoso. Antes de voltar para Londrina, passe na padaria Roland e peça um croissant pra viagem. Fico com água na boca só de lembrar! Ou se preferir, coma um lanche prensado na Shanduella. O de frango acebolado é de comer rezando! Vale cada caloria. Taí mais uma comidinha ma-ra-vi-lho-sa de Rolândia.

Portal icônico de Rolândia

Obrigado, Londrina e Rolândia! Até a próxima! ❤️