Desistir também é um ato de coragem

Dias atrás estava navegando na internet (ainda se usa esse termo? 😅) e me deparei com uma imagem “motivacional” que possuía uma pessoa vestida com roupa de corrida, parada, apoiada nos joelhos e visivelmente cansada, que continha a seguinte frase: Você pode tudo. Menos desistir. Desde então não parei de pensar sobre isso. Sobre não poder desistir.

É muito louco isso mas, às vezes, desistir é o melhor que você pode fazer por você mesmo. Desistir muitas vezes é a melhor decisão a ser tomada, e em alguns casos é uma escolha saudável.

Às vezes precisamos desistir de uma relação que não nos faz bem, em que você doa muito mais do que recebe; ou uma relação que já não nos traz felicidade e já não tem mais jeito. Às vezes precisamos desistir daquele emprego que já chegamos querendo ir embora, que passamos a semana pensando no sábado e domingo. Às vezes precisamos desistir daquela atividade física que não nos dá prazer e que fazemos por pura obrigação e acaba nos gerando mais estresse e insatisfação. Às vezes precisamos desistir daquele  curso que começamos mas não gostamos. Às vezes precisamos desistir daquele amigo que não toma jeito e só suga as nossas energias. Às vezes precisamos desistir daquele sonho que tanto insistimos mas não acontece. Desistir também é um ato de coragem. Você não precisa insistir eternamente. Se engana quem pensa que desistir é coisa de gente fraca, desistir é para os fortes.

Abrir mão de certas coisas é um processo muito doloroso e quando alguém desiste não é porque foi fraco, é porque foi forte tempo demais e reconheceu que aquilo já não lhe fazia bem mais. Certas coisas, pessoas, atitudes e comportamentos são nocivos à nossa saúde mental e bem estar, então desapegue.

Quando digo para desistir não quero dizer apenas para jogar tudo para o alto. Digo para renunciar ao que não agrega mais, renunciar ao que não aquece teu coração e começar algo novo, se permitir um recomeço. Se está em uma relação que não te faz bem, termine, conheça novas pessoas. Se está em um emprego que não gosta, encontre outro. Se pratica um exercício que não te dá prazer, tente outro. Se começou um curso e se desiludiu, comece outro. E comece outro de novo. E comece tudo outra vez. É permitido desistir sim, só não é permitido estacionar, porque a vida é movimento.

O que não podemos desistir nunca é de ser feliz, aí sim, não dá pra desistir. Mas tá liberado desistir de tudo que não te faz bem, ok? 🙂

E, ah! Não se culpe por desistir, ok? Cada um sabe dos seus limites. Seja gentil com você mesmo.

b90d8435f79f62631edc36f616002d22

Como dar um pé na bunda

Nem sempre a gente é a bunda, né mores… Às vezes somos o pé na bunda de alguém, acontece… rs Ainda bem! (Ou não 😂) Dar um pé na bunda também pode ser uma tarefa muito difícil, na verdade eu não sei o que é mais difícil, levar um pé ou dar um pé. Acho que depende da situação, da pessoa… Cada caso é um caso né… Há quem prefira que terminem com eles do que ter que terminar uma relação, e vice versa. Mas enfim, vamos ao que interessa. Só existem duas maneiras de se fazer isso de forma menos traumática.

1) A primeira delas, converse. Tudo se resolve conversando. Se não está bom, se não quer mais, se conheceu alguém novo, o que quer que seja, chame a pessoa e converse. Seja franco(a) e honesto(a) (com o outro e com você). Colocar as cartas na mesa é sempre a melhor opção. De preferência pessoalmente, ok? Não se termina uma relação por mensagem de texto ou ligação. Não seja cuzão. Lembre-se que quando você vai terminar uma relação, é muito importante explicar o que está sentindo e ouvir o que o outro está sentindo. O olho no olho ainda é a melhor forma de fazer isso.

Dicas importantes:

  • Prepare o terreno. Antes de partir para a conversa final, dê indícios de que as coisas não estão bem. Demonstre aos poucos que você não está satisfeito(a).
  • Escolha um território neutro. Sim, o local do término faz toda a diferença. Tem que ser reservado.
  • Defina como será a relação entre vocês dali em diante, para que não ocorra situações desagradáveis e/ou constrangedoras.
  • Ponto final é ponto final. Nada dessa coisa de ‘ai, vamos dar um tempo e blá blá blá’, não!

 

2) Em último caso (só em último mesmo!), faça a pessoa terminar com você. Não acho uma boa opção, mas é uma para quem é covarde o suficiente ou por algum motivo muito forte não consegue colocar um ponto final na relação. Como eu disse, cada caso é um caso né, não podemos julgar. Então dê motivos para a pessoa terminar com você, em outras palavras, seja um cuzão. 😔 Assim a pessoa vai te dar um pé (ou achar que deu) quando na verdade você quem deu.

Essa pode até vir a ser uma boa opção quando seu/sua parceiro(a) é muito apaixonado(a) por você e/ou é muito sensível e sentimental e vá ficar profundamente triste e arrasado(a) com o pé na bunda. Assim, essa seria uma forma de “minimizar os danos”, a pessoa ficaria melhor com ela mesma pensando que abandonou ao invés de ter sido abandonada. Mas não é muito honesto né, enfim… Nesse caso tem que colocar as coisas na balança e analisar. E provavelmente, ela vá acabar te odiando. rs

 

Atualmente, com a presença da tecnologia em nossas vidas, muitas vezes, nem existe o pé na bunda. As pessoas simplesmente somem e não respondem nunca mais. Essa é a pior forma de terminar uma relação. Não faça isso!!! Só demonstra desprezo pelos sentimentos alheios e o quanto você é covarde e incapaz de enfrentar desavenças e confrontos.

Vale lembrar que as tecnologias são uma continuidade da relação, e ignorar online é a mesma coisa do que ignorar alguém que está na sua frente. O quanto você gostaria se fizessem isso com você? Já parou pra pensar? 🤔

Colocar um ponto final em uma relação que não está boa se faz necessário, não tem porquê seguir com uma coisa que não está funcionando mais e que não tem mais salvação, então faça. Mas faça consciente e da melhor forma possível para ambos os lados. E vida que segue! Tá bem? Então tá bem! 🙂

Como superar um pé na bunda

Quem nunca levou um pé na bunda (ou fora, que seja), não é mesmo? Se não levou, provavelmente ainda vai levar… 😅 Enfim… Longe de mim querer cagar regras, mas reuni aqui algumas táticas que podem ajudar a enfrentar esse momento que costuma não ser dos mais agradáveis e fácies de lidar né… Afinal, superar é preciso.

  1. Primeira e mais óbvia, arrume outra pessoa. Aquela máxima de curar um amor com outro. Nem sempre/dependendo da situação não é a ideia mais indicada, você pode acabar se enrolando mais ainda, mas costuma funcionar. Ninguém é insubstituível, não mesmo, por mais que pareça. Coloque outra pessoa no lugar e vá ser (ou tentar ser) feliz novamente. Nota: não me responsabilizo por possíveis danos 😂
  2. Saia com os amigos, vá se divertir e se distrair. Aproveite que está sozinho(a) para reunir os amigos, reencontrar aqueles que não vê faz tempo… Amigos servem pra isso mesmo. E amigo que é amigo tá contigo nesse momento te dando força e te colocando pra cima, então se joga nos (bons) amigos!
  3. Meta o loko. Sim. Pode ser benéfico nesse momento. Se joga! Vá pra farra, pra balada, pra putaria. O corpo é seu, a vida é sua (e é curta) e você não deve nada pra ninguém. Tome um porre sim. Durma com desconhecidos sim. Mas só faça isso se for da sua vontade. Nunca para esquecer alguém, ok? E tudo com juízo e cuidado hein…
  4. Faça coisas que você gosta. Se permita. Não precisa ser nada grande. Se apegue às pequenas coisas (aproveite para valorizá-las). Faça uma lista de pequenos prazeres e coloque em ação. Tome um sorvete na segunda-feira, vá ao cinema na terça-feira (já experimentou fazer isso sozinho(a)? Caso não, essa é a hora!). Compre um presente pra você mesmo na quarta-feira, e aí por diante.
  5. Faça uma viagem. (Mais uma coisa que se não fez sozinho(a) ainda, não espere mais, faça!) Conhecer lugares novos é sempre bom, nesse momento então nem se fala! Tire uns dias para você e vai! Caso não tenha condições financeiras para tal ou não possa por algum outro motivo, como trabalho ou estudos, faça uma viagem sem sair do lugar. Sim, é possível. Escolha um destino no mundo e pesquise sobre ele, descubra. Leia livros e reportagens sobre aquele lugar, assista vídeos sobre. Hoje em dia com a internet é possível conhecer diversos lugares sem sair de casa. E quando tiver a oportunidade, conheça pessoalmente.
  6. Última, mas não menos importante, comece algo novo. Se matricule em algum curso que você tenha vontade de fazer, alguma aula que já tenha tido interesse e adiou… Tem sempre algo novo para aprender. Vá fazer uma aula de dança, uma luta, aprender um idioma novo, tocar um instrumento, aprender crochê… Nota: dá pra aprender coisas novas sem gastar dinheiro. Existem diversos tutorias na internet e apps que ensinam das mais variadas coisas.

Dicas extras: evite procurar saber do ex(u), nada de ficar stalkeando ele nas redes. Evite ir aos lugares que vocês iam juntos e/ou lugares que você sabe que vai encontrá-lo. Ok?

Resumindo… Se mantenha ocupado(a) com coisas que te dão prazer. Foque em você. Aproveite o momento para se conhecer melhor, para crescer e se amar mais. Use o término como incentivo para ficar mais bonito(a), e mostrar ao ex o que ele perdeu. aloka E como dizem por aí, segue o baile! A fila tem que andar, né mores? Tá bem? Então tá bem! 🙂

img_5360

Fique solteiro por quanto tempo for necessário

Que eu defendo a solteirice e sou adepto da filosofia do “antes só que mal acompanhado” não é nenhuma novidade pra quem me acompanha aqui, já falei sobre isso aqui e aqui. Mas antes que me rotulem do que quer que seja, deixo claro que, assim como gosto de estar solteiro, também adoro estar em um relacionamento e acredito em amor sim, mas um relacionamento saudável e amor recíproco. Amar e ser amado é tão bom quanto se amar.

Para tal, temos que nos permitir experimentar, vivenciar novas experiências e estar aberto às possibilidades. E é exatamente sobre isso que fala o texto abaixo. Um texto simples e direto, que transcreve muito bem o que eu penso e acredito.

Você tem uma vida inteira para encontrar o amor da sua vida, fique solteiro por quanto tempo for necessário…

 

Se você encontrar alguém que o  faça  mais feliz do que tudo, que faça você querer se tornar uma versão melhor de si mesmo, crie uma conexão com essa pessoa e passe a eternidade ao lado dela.

Mas se você ainda não encontrou uma pessoa assim, então fique solteiro pelo tempo que precisar. Não tenha vergonha de dizer isso aos seus tios quando perguntarem sobre a sua vida amorosa. Não se sinta constrangido por ser  o único dos seus amigos que ainda não se casou. Não se iluda acreditando que você ficaria melhor se estivesse em um relacionamento com alguém.

É melhor ficar solteiro do que estar com alguém que leva horas para responder suas mensagens, ou alguém que pensa estar fazendo um favor ao lhe dar o mínimo de atenção que você merece e fica bravo contigo por cada pequena coisa que você faz.

Não fique com uma pessoa tóxica – ou alguém que é um amor de pessoa, mas você simplesmente não consegue sentir o mesmo e retribuir, espere. Espere um relacionamento onde os sentimentos são mútuos. Onde vocês dois estão loucos um pelo outro. Onde ambos podem imaginar um futuro que dura para sempre.

Você tem uma vida inteira a sua frente, tem tempo para perseguir seus sonhos. Agora é hora de formar novas amizades, hora de ganhar aquela promoção. E mais do que tempo suficiente para encontrar o amor da sua vida.

Você está autorizado a namorar por aí. Você está autorizado a beijar as pessoas erradas, a dormir com as pessoas erradas, a se comprometer com as pessoas erradas. Você está autorizado a se aventurar em diferentes relacionamentos, para ver que tipo de pessoas são certas para você e quais são completamente erradas. Você está autorizado a experimentar!

Mas você também está autorizado a ficar solteiro. Você está autorizado a escolher ficar em casa durante o fim de semana ou na cama durante as noites de baladas com os amigos. Você está autorizado a escolher você ao invés de encarar estranhos em um bar.

Você pode encontrar o amor da sua vida no seu próprio ritmo.

*Texto original de Holly Riordan

Vive melhor quem sabe a hora de se afastar…

Uma monótona tarde de domingo como outra qualquer, estava eu com uma leve ressaca, navegando na internet, quando me deparei com esse texto foda; então resolvi compartilhar com vocês esse tapa na cara. Leitura necessária para quem, assim como eu, é apegado (seja às pessoas, às coisas ou aos momentos), para quem se humilha pro boy lixo e/ou amigo lixo e para todas as outras pessoas que, às vezes, colocam o amor próprio no bolso.

“Você tem que aprender a levantar-se da mesa quando o amor não estiver mais sendo servido.” (Nina Simone)

E então o tempo passa e tudo começa a ficar diferente do que era antes. As pessoas mudam, outras vão embora, os ambientes tomam outras formas, o mundo renova-se e, ali no meio disso tudo, ficamos nós, tentando nos equilibrar nesta corda bamba que é a vida. Talvez por conta desse exterior em constante mudança, sempre imprevisível, tentamos manter as coisas em ordem perto de nós, como se precisássemos de alguma constância em meio a essa vida que chacoalha sem parar.

Infelizmente, se nos prendermos a coisas e pessoas, depositando-lhes toda carga de responsabilidade sobre nosso equilíbrio, necessitando de que tudo fique como e onde está, sempre, apesar de tudo, haja o que houver, muito provavelmente estaremos condenados a nos decepcionar fortemente. Haverá momentos em que tudo o que parecia certo se desmorona e nada volta a ser como antes nem ninguém será como já foi um dia. Para então sobrevivermos, teremos que ir, teremos que deixar ir, sejam os momentos, sejam as coisas, as pessoas, os sentimentos.

Teremos que perceber quando não formos mais parte de certos lugares, quando não mais precisarem de nós ali, quando nossa presença não for requisitada, quando nosso amor não mais encontrar terreno afetivo ao lado de quem foge ao nosso olhar. Porque haverá ambientes que ficarão melhor sem nossa presença, haverá pessoas que desejarão nossa distância, haverá vidas correndo com tranquilidade longe de nós. Ainda que não seja fácil, será preciso nos afastar do que e de quem já caminha longe da gente.

tumblr_m6jpyzn5sq1ql13bzo1_500_large

Na verdade, mesmo que leve um tempo, acabaremos chegando à conclusão de que tudo o que não nos requer e todos que não nos chamam mais não nos farão falta alguma, pois o que não carrega reciprocidade não vinga, não floresce, nada oferta nem acrescenta. Ficaremos bem melhor longe do que não nos recebia com verdade. Muitas vezes, até, nosso afastamento será providencial para que nossa ausência traga clareza quanto à importância que temos, fazendo com que voltemos mais fortes junto ao que era incerto e já não é mais.

Como se vê, embora relutemos muito em nos desprender de algumas coisas e de certas pessoas que temos como imprescindíveis, tomarmos a atitude de nos afastar do que já transbordou para o lado errado, do que sufoca e apaga o nosso sorriso, de quem mal nos percebe e pouco se importa, acabará por nos poupar de machucados e dissabores, pois é assim que tomaremos de volta nosso amor-próprio, é assim que saberemos nos valorizar antes de tudo. Sofrer com as rupturas nos fortalece e passa; sofrer sem ter coragem de sair daquilo que causa dor nos diminui e não tem fim. A escolha é só nossa.

*Texto de Marcel Camargo

 

Saber a hora de fechar uma porta e abrir uma janela, muitas vezes, se faz necessário. Tudo muda o tempo todo. Não há nada que dure para sempre, por mais que a gente queira. Tomar decisões nem sempre é uma tarefa fácil, mas permanecer e insistir no erro pode ser letal. É preciso coragem para se abrir ao novo. Uma vez uma senhora me disse: “Nunca se esqueça que aquilo que está por vir será sempre melhor do que aquilo que já foi.” É isso, eu sigo acreditando… Cada dia mais.

Medo de ficar sozinho

Dias atrás estava num bar com amigos jogando conversa fora quando um deles disse que não entendia por que eu estava sozinho. Citou mil e uma qualidades minhas e me questionou por que eu não namorava e se eu não tinha medo de ficar sozinho.

Sem hesitar, eu respondi que não. Ele ficou surpreso e quis saber por quê. Se você também não entende como alguém não tem medo de ficar sozinho, vou lhe explicar. Pelo simples fato de que eu fico super bem sozinho, eu adoro a minha companhia. Sou adepto da velha filosofia do “antes só que mal acompanhado”, sabe? Acho que se você está com alguém que não te valoriza, que fica fazendo joguinho, que tira sua paz, não vale a pena. Se eu for ficar com alguém, tem que ser alguém que vá agregar, que vá somar. Alguém tão intenso como eu, que não seja pouco, que me faça transbordar. Sentimentos por migalhas não me atraem. E enquanto essa pessoa não aparece, eu fico muito bem comigo mesmo. E se essa pessoa não aparecer, tudo bem também. Sigo completo.

Você deve estar pensando, “nossa, que autossuficiente…” Talvez sim, talvez não. A questão é se conhecer, se amar, se respeitar, ter consciência de que a sua felicidade só depende de você, e vem de dentro. De dentro de você. A gente tem que aprender a ser feliz sozinho, porque só assim vamos ser felizes com alguém. Então a companhia alheia será questão de escolha e não uma necessidade. Eu sou a minha melhor companhia. Seja a sua também.

Mas se você tem esse medo, tudo bem. Normal. Eu também já tive. Acredito que a maioria das pessoas tenha. Até porque dizem muito por aí que “é impossível ser feliz sozinho”… A gente acaba acreditando.

Câncer e o zodíaco

Quem nunca conheceu alguém e não quis saber se o signo daquela pessoa combinava com o seu que atire a primeira pedra! Por mais que você não acredite muito em Astrologia, acaba caindo na curiosidade de perguntar o signo do crush. E aí, será que o crush combina com você?

Para começar, resolvi aproveitar o Sol em Câncer para falar de nós, cancerianos ❤ melhores pessoas kkk Então se você é canceriano, se joga nas combinações abaixo! E se não é, mas tem um crush canceriano, se joga também!

Câncer + Áries: É uma combinação delicada, que precisará ser administrada com paciência e sabedoria, já que são signos de naturezas muito diferentes. Áries é de fogo; Câncer, de água. Enquanto Áries é ação, Câncer é emoção. Enquanto Áries é extrovertido, Câncer pode ser mais tímido. Será preciso compreender essas diferenças para fazer a relação funcionar. Se souberem se adaptar, podem crescer e aprender muito um com o outro. Nota = 4/5

Câncer + Touro: A combinação é puro amor. Terra e água, Vênus e Lua, esses signos têm tudo a ver, já que são cheios de afeto, sensibilidade e adoram cuidar daqueles que amam. Quando se apaixonam, é pra valer. Essa relação é cheia de romantismo, sensibilidade, delicadeza. Há também muita sensualidade e fidelidade. Nota = 4/5

Câncer + Gêmeos: Gêmeos é um signo do elemento ar, enquanto Câncer é do água. Gêmeos é mais desencanado, relax, gosta de curtir as coisas e a vida sem muito compromisso, enquanto Câncer é supersensível e focado nos compromissos. Ou seja, são muito diferentes. Para completar, ambos oscilam demais, Câncer pela instabilidade de água e Gêmeos pela volatilidade do ar. Mas, com amor, tudo é possível, até mesmo conciliar as maiores diferenças. Nota = 1/5

Câncer + Câncer: Ninguém melhor para entender um canceriano que outro canceriano. Os dois não têm medo de amar e de se entregar. Quando entram numa relação, é pra valer. Por isso, o relacionamento tende a ser duradouro. Ambos são amorosos, carinhosos, calmos e se preocupam um com o outro. Porém, podem ser possessivos, ciumentos e ter a tendência à manipulação e chantagem emocional. O excesso de controle e cobranças pode prejudicar a relação. Para que tudo dê certo, devem cultivar a liberdade e a confiança! Nota = 5/5

Câncer + Leão: Câncer é signo do elemento água; Leão, do fogo. Câncer é regido pela Lua; Leão, pelo Sol. Leão adora festa, Câncer é mais caseiro. O primeiro é mais seguro, já o segundo mais sensível. Mas os dois são fiéis, leais, protetores e atraem um ao outro. Embora a atração entre os dois seja forte e Câncer se derreta pelo jeito protetor de Leão, e Leão se encante pela delicadeza e pelo acolhimento canceriano, as diferenças também são muitas – é preciso trabalhar sobre elas para fazer a relação dar certo. Haja amor e disposição! Nota = 2/5

Câncer + Virgem: Câncer é signo do elemento água; Virgem, do terra. Ambos naturalmente se atraem e combinam. É uma relação que facilmente pode dar certo. Virgem é metódico, discreto e dedicado; Câncer, sensível, tímido e também muito dedicado. Ambos são organizados, práticos e podem se dar muito bem no dia a dia. Mas as coisas podem se complicar um pouco quando Câncer, que é muito romântico, espera de Virgem um pouco mais de calor e sensibilidade. Virgem é bem mais racional e, embora ame de verdade, é pouco dado às demonstrações de afeto. Para equilibrar as coisas, Virgem terá de se esforçar um pouco mais, abrindo-se emocionalmente, enquanto Câncer terá de administrar as expectativas, procurando entender o jeito de Virgem. Nota = 3/5

Câncer + Libra: Câncer é regido pela Lua; Libra, por Vênus. Ambos gostam de cuidar, são amorosos, companheiros e doces um com o outro. As brigas entre os dois serão raras, já que detestam violência e cultivam a paz. O jeito cuidadoso e delicado de Libra atrai Câncer, que gosta de ser cuidado. Já a sensibilidade de Câncer atrai Libra, que é um signo refinado. As coisas só podem desandar um pouco no momento em que Libra se torna muito racional, uma vez que é um signo de ar e mais mental, ativando as carências de Câncer, que é aquático, emocional e precisa de carinho e contato físico o tempo todo para se sentir seguro. Isso pode fazer com que Câncer fique ciumento, inseguro e manipulador, irritando Libra, que não gosta de mimimi. Nota = 3/5

Câncer + Escorpião: Os dois são signos regidos pelo elemento água, ou seja, são pura emoção, sentimento e sensibilidade. Câncer e Escorpião se entregam e se jogam. Uma relação entre eles é sempre sinônimo de intensidade. Os dois são profundos, apaixonados e desejam ardentemente um relacionamento. Por isso, quando se encontram, podem não se largar mais. A atração é intensa; parece coisa do destino. Essa relação é pura sensualidade, romantismo e entrega. Mas com tanta intensidade, pode-se esperar também muito drama, ciúme, chantagem emocional e manipulação. O lado mais frio e racional da relação caberá a Escorpião, que se esforçará para não se afogar em meio a tantas emoções. Porém, o escorpiano, quando se sente ameaçado, pode se defender de forma fria ou agressiva, o que pode magoar profundamente os sentimentos do canceriano. É necessário cuidado e muita dedicação para que tudo não acabe em ressentimentos. Nota = 5/5

Câncer + Sagitário: Câncer é signo do elemento água; Sagitário, do fogo. Câncer é tímido; Sagitário, extrovertido. Câncer é caseiro; Sagitário detesta ficar em casa. São, portanto, bem diferentes. Mas apesar das diferenças, têm algo em comum: o interesse pela espiritualidade, a necessidade de aprender mais e ir além do óbvio. As coisas podem desandar devido ao fato de Sagitário ser um signo independente, seguro, que aprecia a liberdade e pode não ser super fiel; já Câncer é mais inseguro, mais dependente e exige compromisso e fidelidade. Mas é aquela história: com amor e dedicação, tudo pode dar certo, né? Será preciso muito amor e dedicação para que essa relação seja duradoura. Nota = 2/5

Câncer + Capricórnio: Câncer é signo do elemento água; Capricórnio, do terra. São opostos que se complementam. A atração entre os dois é forte e instantânea. Câncer é um signo amoroso, afetivo e adora cuidar, enquanto Capricórnio aparenta ser durão, fechado, mas, no fundo, é carente e tudo o que mais deseja é ser amado e cuidado. Os dois são práticos, persistentes, não têm medo de enfrentar problemas e lutar pelo amor. Farão, portanto, de tudo para que a relação dure a vida toda. Nota = 4/5

Câncer + Aquário: Câncer é signo do elemento água; Aquário, do ar. Câncer olha para o passado; Aquário, para o futuro. Câncer é emotivo; Aquário, super-racional. Completamente diferentes, mas é justamente nesse excesso de diferenças que pode nascer uma forte atração. Essa não é uma relação muito fácil, mas se houver muito amor, pode ser que role. Ainda assim, será preciso dedicação. O problema é que Aquário, com seu jeito frio, racional e desapegado, poderá despertar muitas inseguranças e carências em Câncer, tornando-o ciumento, possessivo, cobrador e resmungão, tudo o que Aquário detesta. Os dois terão de exercitar a flexibilidade, a compreensão e aprender a se colocar no lugar do outro para que a relação dê certo. Caso consigam enfrentar o desafio, podem crescer e aprender muito juntos. Nota = 1/5

Câncer + Peixes: Os dois são signos regidos pelo elemento água, supersensíveis, emocionais e de estilo bem parecido. Tem tudo para dar certo. Carinhosos, sensíveis e sentimentais até o último grau, são aquele tipo de casal meloso, que se ama e se encanta um pelo outro à primeira vista. O desafio inicial pode ser o medo de demonstrar sentimentos e se sentir rejeitado. Por isso, embora o encantamento seja instantâneo, o romance pode demorar a engatar, já que alguém vai ter de tomar coragem e chegar junto. Mas, passado esse primeiro obstáculo, tudo será só amor. As brigas serão raras, pois vocês têm uma sintonia perfeita e detestam discussões. O perigo está no excesso de doçura e de mimimis, que pode fazer com que criem um mundo à parte e acabem se isolando dos amigos e da família. Nota = 5/5

 

E aí? Concorda? Discorda? Me conte nos comentários! 🙂

Se assumindo gay

As.su.mir. Eu odeio detesto esse termo para se falar sobre homossexualidade. Na minha concepção de mundo, se assume um erro, um crime, uma gafe, não uma orientação sexual. Sim, orientação, não opção. Opção = escolha. Ninguém escolhe ser gay. Eu sei que você já ouviu isso mil vezes. Mas repito para que não haja dúvidas. Ninguém escolhe ser gay porque ninguém quer sofrer preconceito, simples assim. Tão simples quanto 1 + 1 = 2. Ninguém quer ser excluído, muito pelo contrário; nós, seres humanos, fazemos um puta esforço para sermos aceitos de diversas maneiras na sociedade. Poderia citar milhares de exemplos mas não vem ao caso no momento.

“Então calma, deixa eu ver se entendi… Assumir não é o correto, então qual verbo usar?” Vou tentar te explicar. Primeiramente você se assume gay para você mesmx, portanto acredito que você se reconhece gay. Já na infância ou, mais tardiamente, na adolescência, você percebe que foge ao padrão social e que é diferente (comportamento) da maioria. A sociedade te diz que você tem que gostar de menina (se você for menino e vice versa) e você SIMPLESMENTE NÃO GOSTA. Tuas tias perguntam: e xs namoradinhxs? E você não consegue sequer responder aquilo.

Após se reconhecer gay, você tem que se assumir pro mundo, não é mesmo? Não. Você se apresenta gay pro mundo. E muitas vezes não é preciso verbalizar isso, você não precisa dizer em alto e bom som que é gay, quem tiver que saber, vai saber, vai perceber de algum jeito. O máximo que pode acontecer é você contar para sua família, seus amigos que você é gay. Ponto. Você se apresenta como é, você conta o que você é (uma das milhares de coisas né mores, porque além disso você é incrível, maravilhosx, inteligente e por aí vai). E não é porque você não gritou que é gay que você esteja se escondendo (vulgo no armário). Talvez seja necessário se apresentar gay sim, se declarar gay, mas assumir, jamais. E talvez, por algum motivo, você precise se esconder, tudo bem também, ninguém pode te julgar por isso.

Assumir é um termo muito pesado para uma coisa tão maravilhosa e libertadora que é ser gay. Apesar de todos os pesares.

Minha história: descobri muito cedo que era gay, ainda criança eu percebi que não era como os outros meninos. Por ser muito novo eu não entendia direito o que aquilo significava e nem no que implicava. À medida que o tempo foi passando, fui entendendo melhor, mas no começo foi um pouco difícil me aceitar como eu era, devido a inúmeros fatores, como preconceito e afins. O simples fato de ser diferente da maioria já é um tanto quanto assustador. Sofri muito bullying na escola, o que não facilitou em nada. Hoje  eu me aceito e me amo (muito) como eu sou e não trocaria por nada. Sou grato por ser quem eu sou e por todas as experiências que vivi. Quanto a me apresentar gay pro mundo, nunca precisei verbalizar, se é que você me entende… rs

E vamos parar de nos preocupar com a orientação sexual alheia também. Fodas com quem teu vizinho dorme, se não for com seu/sua parceiro(a), não é da sua conta e você não tem que se incomodar. Tá bem? Então tá bem!

Estate-Planning-In-Adelaide-For-Same-Sex-Couples

Traição tem perdão?

O conceito de traição implica que há confiança (ou algum outro tipo de relacionamento) entre as partes envolvidas. Dessa forma, a traição pode acontecer entre amigos, entre familiares ou entre pessoas que têm um relacionamento amoroso.

Quem nunca traiu ou foi traído que atire a primeira pedra! Seja traição de um(a) parceiro(a), de um(a) amigo(a), de um familiar ou qualquer outra pessoa que você tenha um relacionamento, seja ele de qualquer natureza. Para trair não é preciso muito esforço, ser fiel e leal a alguém exige muito mais de você, principalmente em um relacionamento amoroso. Hoje em dia a oferta é muito grande, as redes sociais e aplicativos facilitaram a traição.

A traição também pode ser relativa, às vezes o que eu considero traição, pode não ser para você. Como por exemplo, seu parceiro estar conversando com alguém em um aplicativo, é traição ou não? Seria traição só se acontecesse um encontro? O simples fato de ele estar em um aplicativo já não pode ser considerado traição? Muito se diz que se não rolou sentimento, não foi traição. Será? Em um relacionamento, isso tem que ser muito bem definido, o que configura traição ou não.

escala traição
Escala de traição

Na maioria das vezes, você está em um relacionamento porque ama aquela pessoa; e às vezes o amor é tão grande e tão forte que uma traição não consegue destruir aquele amor. O orgulho é ferido, a confiança é quebrada, mas o amor continua ali (talvez até intacto). Por isso aceitar uma traição é muito difícil, porque a confiança e o orgulho formam abalados, mas você continua amando aquela pessoa, continua querendo aquela pessoa. Então você se encontra em um beco sem saída: perdoar e seguir em frente juntos ou terminar a relação? Se seguir em frente, vai ser como antes? Vai ser melhor? Pior?

Acredito que seja preciso avaliar o que importa mais para você, analisar seus sentimentos e a relação que existe entre vocês. Você ainda consegue dividir a vida com aquela pessoa? Se a resposta for sim, você já sabe o que fazer.

Eu já fui traído e perdoei. Depois de muito tempo. Foi um processo longo e difícil. Após uma fase de raiva e tristeza, você consegue perdoar o traidor. A ferida leva tempo para cicatrizar. É normal precisar de um tempo para digerir e absorver o que aconteceu. Mas perdoar é diferente de esquecer. Eu perdoei mas não retomei a relação. Como dizem, perdoar é divino, mas como bom canceriano que sou, guardo mágoa e não esqueço. Nunca traí, prezo muito a lealdade nos meus relacionamentos, até mais que a fidelidade. Mas não posso dizer que nunca trairei. Nunca diga nunca, não é mesmo? Mas de uma coisa é certa: se eu trair, vou contar à pessoa. Nada mais justo e honesto. Aquele lance da lealdade que falei agora a pouco.

Caso você tenha alguma história de traição interessante e queira dividir comigo, escreva nos comentários. Ou me mande uma mensagem!