Top 5: melhores álbuns de 2017

O final do ano vai se aproximando e a gente já entra no clima de retrospectiva (e nostalgia), não é mesmo? E se teve uma coisa que não faltou em 2017, foi música. E música boa!

Segundo o Spotify, eu escutei nada mais nada menos que 49.079 minutos de música, 808 músicas diferentes, 212 artistas e 13 gêneros musicais em 2017. Ufa! Isso sem contar que ainda faltam alguns dias para o ano acabar e sem falar nas outras plataformas que usei para ouvir música. 😂 É MUITA música!

Pensando nisso, fiz um TOP 5 com álbuns lançados nesse ano e que eu mais curti ouvir em 2017. Então bora lá!

5. Double Dutchess – Fergie   

fergie DD

Após 11 longos anos sem lançar um álbum (apenas alguns singles nesse período), Fergie voltou à cena pop com tudo. Double Dutchess foi adiado diversas vezes por variadas razões mas valeu a espera, Fergie entregou um álbum completo e melhor que seu antecessor. Double Dutchess nos apresenta uma nova versão de Fergie e conta com músicas dançantes e outras mais românticas. À primeira vista, pode parecer uma bagunça sonora, mas o resultado final é muito bom e tem momentos marcantes.

Favoritas: Hungry * A Little Work * Enchanté

4. Lust For Life – Lana Del Rey    

Lana LFL

Que as músicas – e consequentemente os discos – da Lana são maravilhosas não é nenhuma novidade né? Mas esse álbum em especial é simplesmente incrível, não tem uma música ruim ou mais ou menos. Eu ousaria dizer que é o melhor álbum da carreira dela. Lust For Life apesar de, à primeira vista, parecer mais “felizinho” e alto astral, é a mesma deprê de sempre (que a gente ama), mas sem mimimi e a cantora nos entrega um pop inteligente como só ela sabe fazer.

Favoritas: White Mustang * Lust For Life * Coachella

3. Beautiful Trauma – Pink    

Pink BT

Taí uma artista completa, foda, maravilhosa, incrível e quantos mais adjetivos forem possíveis. Eu sempre irei enaltecer esse mulherão da porra. Sou fã desde que me entendo por gente (isso já faz um tempinho viu… rs) e ela se supera a cada álbum. Fica anos sem lançar, mas quando lança… Detona a porra toda! Beautiful Trauma é mais um álbum memorável da cantora e para ouvir no repeat.  Um belo álbum do melhor que o pop pode ser: pegajoso, positivo e relevante.

Favoritas: Beautiful Trama * For Now * I Am Here

2. BLUE LIPS – Tove Lo    

Tove_Lo_-_Blue_Lips

Após apenas um ano do lançamento de seu último disco, Tove Lo está de volta com a sequência de Lady Wood. Blue Lips é o terceiro álbum de estúdio da cantora e é viciante. Fiquei a primeira semana após seu lançamento ouvindo no repeat sem parar, todos os dias. Juro! Tove foi uma grande (e grata) surpresa nos últimos anos, trouxe um refresco para o pop atual e seu som é irresistivelmente delicioso. Seu primeiro disco, Queen of the clouds, é foda e eu duvidei que fosse possível ela lançar um álbum melhor, mas Blue Lips está aí para provar que eu estava enganado.

Favoritas: Romantics * Bad Days * Hey you got drugs?

1. DUA LIPA – Dua Lipa    

Dua_Lipa_(album)

Ela sem dúvidas foi a dona do ano. Dua chegou quebrando tudo e não teve pra ninguém. Não tenho nem muito o que falar, dizer que foi o álbum que mais ouvi (e continuo ouvindo) já fala por si só. ❤ Um álbum completo, redondo, para ouvir a qualquer hora. Falei sobre ele aqui.

Favoritas: No Goodbyes * New Love * Last Dance (mas não tem favoritas na real rs são todas maravilhosas)

 

img_7941
Taí o Spotify que não me deixa mentir.

P.S.: As favoritas estão em ordem de aparição nos álbuns e não de preferência.

Olhando a lista percebemos que o post também poderia se chamar TOP 5: melhores álbuns pop, ou ainda TOP 5: melhores álbuns pop feminino de 2017 😂

“Extraordinário” – Do riso ao choro (e vice-versa)

Ontem foi dia de assistir ao filme “Extraordinário”, que chega aos cinemas brasileiros na próxima quinta-feira, dia 7 de dezembro. O filme é baseado no livro homônimo, do autor R. J. Palácio, que narra as dificuldades e conquistas presentes na vida de uma criança especial.

“Extraordinário” conta a história de Auggie Pullman, um garoto que possui uma deformação facial devido ao fato de ter nascido com uma doença rara, o que fez com que passasse por 27 cirurgias plásticas. Antes educado em casa, agora, aos 10 anos, ele frequentará uma escola regular pela primeira vez, como qualquer outra criança. Lá, precisará lidar com a sensação constante de ser sempre observado e julgado por todos ao seu redor.

Parece ser só mais uma história de uma criança diferente das outras, mas “Extraordinário” vai além, é sobre as relações humanas como um todo – tendo como foco a fase entre infância e adolescência.

A adaptação pro cinema não deixa a desejar, pelo contrário, só agrega à trama. O roteiro é fiel à história (na medida do possível) e conta de forma delicada e divertida os altos e baixos da jornada de Auggie. Eu, particularmente, adoro quando um livro que li, vira filme. Acho o máximo ter materializado tudo que imaginei lendo o livro.

Quem dá vida a Auggie é Jacob Tremblay, o Jack de “O Quarto de Jack” – brilhantemente, diga-se de passagem. Todo o trabalho de caracterização não se sustentaria se não tivesse um garoto tão brilhante por debaixo.

Julia Roberts e Owen Wilsonestão fantásticos no papel dos pais, a conexão entre eles e Jacob é visível e fundamental para a história. Destaque também para o restante do elenco mirim que está perfeito e faz com que o filme consiga ser sensível sem ser infantil demais (bobo).

extraordinario
Você está pronto para conhecer Auggie Pullman?

“Extraordinário” nos convida a olhar além das aparências. O filme é uma aula de empatia, gentileza e amor ao próximo. Fala sobretudo de aceitação das diferenças e nos faz refletir sobre o que realmente importa no fim das contas. Um tema importante tratado com leveza e ao mesmo tempo com a seriedade necessária. Mesmo caindo em clichês vez ou outra e não tendo nada de inovador, não decepciona e não deixa de ser um filme brilhante (tanto para crianças quanto para adultos). Tem que ver. ❤

Recomendo levar uns lencinhos se você for “manteiga derretida” assim como eu. rs

extraordinario-filme-baseado-no-livro-sera-estrelado-por-julia-roberts-e-jacob-tremblay-3

Desistir também é um ato de coragem

Dias atrás estava navegando na internet (ainda se usa esse termo? 😅) e me deparei com uma imagem “motivacional” que possuía uma pessoa vestida com roupa de corrida, parada, apoiada nos joelhos e visivelmente cansada, que continha a seguinte frase: Você pode tudo. Menos desistir. Desde então não parei de pensar sobre isso. Sobre não poder desistir.

É muito louco isso mas, às vezes, desistir é o melhor que você pode fazer por você mesmo. Desistir muitas vezes é a melhor decisão a ser tomada, e em alguns casos é uma escolha saudável.

Às vezes precisamos desistir de uma relação que não nos faz bem, em que você doa muito mais do que recebe; ou uma relação que já não nos traz felicidade e já não tem mais jeito. Às vezes precisamos desistir daquele emprego que já chegamos querendo ir embora, que passamos a semana pensando no sábado e domingo. Às vezes precisamos desistir daquela atividade física que não nos dá prazer e que fazemos por pura obrigação e acaba nos gerando mais estresse e insatisfação. Às vezes precisamos desistir daquele  curso que começamos mas não gostamos. Às vezes precisamos desistir daquele amigo que não toma jeito e só suga as nossas energias. Às vezes precisamos desistir daquele sonho que tanto insistimos mas não acontece. Desistir também é um ato de coragem. Você não precisa insistir eternamente. Se engana quem pensa que desistir é coisa de gente fraca, desistir é para os fortes.

Abrir mão de certas coisas é um processo muito doloroso e quando alguém desiste não é porque foi fraco, é porque foi forte tempo demais e reconheceu que aquilo já não lhe fazia bem mais. Certas coisas, pessoas, atitudes e comportamentos são nocivos à nossa saúde mental e bem estar, então desapegue.

Quando digo para desistir não quero dizer apenas para jogar tudo para o alto. Digo para renunciar ao que não agrega mais, renunciar ao que não aquece teu coração e começar algo novo, se permitir um recomeço. Se está em uma relação que não te faz bem, termine, conheça novas pessoas. Se está em um emprego que não gosta, encontre outro. Se pratica um exercício que não te dá prazer, tente outro. Se começou um curso e se desiludiu, comece outro. E comece outro de novo. E comece tudo outra vez. É permitido desistir sim, só não é permitido estacionar, porque a vida é movimento.

O que não podemos desistir nunca é de ser feliz, aí sim, não dá pra desistir. Mas tá liberado desistir de tudo que não te faz bem, ok? 🙂

E, ah! Não se culpe por desistir, ok? Cada um sabe dos seus limites. Seja gentil com você mesmo.

b90d8435f79f62631edc36f616002d22

Must go: Inhotim

Provavelmente você já ouviu falar de Inhotim… Se não, deixe-me lhe apresentar… É o maior centro de arte ao ar livre da América Latina. Sede de um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do Brasil. Muitos se referem a Inhotim como museu a céu aberto, mas não gosto de me referir a ele apenas como um museu pois acho que limita e é muito mais que um museu.

Essa foi a terceira vez que fui e, garanto, é sempre uma experiência diferente. Fica em Brumadinho (60km de BH) mas parece que você está num mundo paralelo, tipo Alice no país das maravilhas, sabe?

Inhotim é enorme, imenso, gigante. Um dia não é suficiente para visitar todas as galerias e obras e absorver toda a energia mágica daquele lugar. Mas se souber aproveitar bem o tempo, dá para visitar bastante coisa em um dia inteiro. Lá é dividido em três eixos, um rosa, um laranja e um amarelo, recomendo escolher um e fazer todo o percurso e depois, os demais.

É tanta coisa maravilhosa que fica difícil eleger uma instalação preferida, mas duas obras específicas me chamaram mais atenção e mexeram comigo.

A primeira delas se chama Linda do Rosário, uma escultura da artista Adriana Varejão onde a arquitetura se associa ao corpo, e a “matéria de construção se torna carne”. É uma espécie de “muro vivo”, uma coisa incrível! É, sem dúvida, uma das obras de arte mais incríveis que já vi na vida. Foi inspirada no desabamento do Hotel Linda do Rosário, no centro do Rio de Janeiro, em 2002, cujas paredes azulejadas caíram sobre um casal num dos cômodos do prédio. É uma daquelas coisas que tem que ver. Onde: G7 – eixo laranja.

 

Outra obra que mexeu comigo de forma intensa foi a instalação Através, do artista Cildo Meireles. Desde o final dos anos 1960, Cildo Meireles vem se afirmando como importante voz na arte contemporânea. Seu trabalho é pioneiro no campo da arte da instalação e preza pela diversidade de suportes, técnicas e materiais, apontando quase sempre para questões mais amplas, de natureza política e social.

Através é uma espécie de labirinto construído por meio de objetos e materiais comuns do dia a dia; são objetos utilizados para criar barreiras, com os mais diferentes tipos de usos e cargas psicológicas: desde uma cortina de chuveiro – passando por um arame farpado – até uma grade de prisão, e muitos outros materiais de origem doméstica, industrial e institucional. Esses elementos se organizam geometricamente sobre um chão de vidro estilhaçado que reflete a luz focal do centro e produz diferentes tipos de transparência.

“Por meio de jogos formais com materiais cotidianos, o artista lida com questões mais amplas, como a nossa maneira de perceber o espaço e, em última análise, o mundo.  O convite é que o corpo experimente de perto esta estrutura, descobrindo e deixando para trás novas barreiras. Com sua conformação labiríntica e experiência sensorial de descoberta, Através e seus obstáculos aludem às barreiras da vida e ao nosso desejo, nem sempre claro, de superá-las.” Não preciso dizer mais nada né? Só vivenciando para entender. É permitido caminhar pela instalação, desde que você esteja calçado. Onde: G5 – eixo amarelo.

 

Inhotim é muito mais que um passeio, que um programa, que uma viagem. É uma experiência sensorial (e única), que usa e abusa de todos os nossos sentidos. Vale a pena cada segundo naquele lugar.

Dicas: Vá com um calçado e roupas confortáveis pois você vai andar muito lá. Leve uma garrafa d’água e alguns snacks pra comer no caminho. E não se esqueça do protetor solar. 😉

~

Serviço:http://www.inhotim.org.br/

Novo vício: Dinastia

Preciso dividir com vocês meu mais novo vício: a nova série da Netflix, Dinastia (Dynasty, no original). Se você, assim como eu, sente saudades de uma trama cheia de white people problems, intrigas, vingança, badalação e uma boa pitada de mistério, aperte o play!

A série é uma mistura de “Gossip Girl”, “Revenge” e “The O.C.” E não é à toa, os nomes por trás do roteiro são Josh Schwartz, Stephanie Savage e Sallie Patrick. Josh é o criador de “The O.C.” e co-criador da adaptação de “Gossip Girl” para a TV, junto com Stephanie. Os dois também eram produtores de ambas as séries. Já Sallie foi responsável pela produção de “Revenge” e pelo roteiro de 12 episódios.

Inspirada em um seriado clássico dos anos 1980 – que tinha o mesmo nome, “Dinastia” segue a disputa por fortuna e poder travada entre duas das famílias mais ricas dos EUA. Um ponto bacana dessa nova versão da série é a representatividade racial, uma das famílias é negra. Legal, né? (Tem casal gay também ❤ ) A trilha sonora e a fotografia são um plus a mais.

DYNASTY
DYNASTY

O maior problema da série é que chega na Netflix à moda antiga, um episódio por semana 😅 toda quinta-feira é dia! Mas tem uma explicação para tal, os episódios chegam ao Brasil apenas um dia após irem ao ar nos Estados Unidos. Já estão disponíveis 3 episódios. Então já sabe, né? Se joga!

dinastia

 

Must go: Londrina/PR

Meu coração aperta só de lembrar dos dias deliciosos que passei nessa cidade linda e acolhedora ❤ Londrina é a quarta maior cidade do sul do Brasil, um tanto quanto distante da capital do estado, Curitiba, mas não deixa a desejar em nada. Fiquei impressionado com a organização e limpeza das ruas, sem falar na educação das pessoas. E opções do que fazer não faltam!

Comece o dia passeando pelo Jardim Botânico, depois uma parada na Pátio San Miguel para fazer um lanche, termine a tarde apreciando o pôr do sol no Lago Igapó e à noite, bons drinks no Oficina Bar. Esse seria um ótimo roteiro para um dia em Londrina. Só escrever já me fez suspirar… Suspirei de saudade, suspirei com as boas lembranças…

O Jardim Botânico de Londrina é uma das mais importantes unidades de pesquisa e conservação de espécies nativas e exóticas no Paraná, com mais de 1 milhão de metros quadrados de mata nativa, nascentes e rios. Vale a pena a visita!

img_6315
Vista aérea do Jardim Botânico

Pátio San Miguel é uma lanchonete/confeitaria incrível, com uma variedade enorme de doces e salgados (dá água na boca só de lembrar), tanta opção maravilhosa que a gente fica sem saber o que escolher! Fica aberta até às 23h nas segundas e terças e 24h o restante da semana, maravilhoso né? Bateu aquela larica no meio da noite ou saiu da balada faminto? Já sabe pra onde correr!

san miguel
Escolher a sobremesa na Pátio San Miguel não é tarefa fácil!

O Lago Igapó é um dos principais cartões postais da cidade devido ao seu espetacular espelho d’água. É uma das mais belas áreas de lazer de Londrina, com ciclovia e jardins em suas margens, e sua extensão abrange diversos bairros da cidade. O pôr do sol ali é um espetáculo à parte. Uma boa pedida é o açaí e os sucos (pra quem, assim como eu, não gosta de açaí) do Green Açaí, na orla.

11330744_693140427475422_1255951140_n
Pôr do sol no Lago Igapó

Oficina bar é um pub alternativo que tem uma carta de drinks variada a preços acessíveis e uma programação de música diversificada. O ambiente possui uma decoração bem descolada e um clima super descontraído. Uma ótima pedida pra curtir uma música e tomar umas. Sugiro experimentar o Mojito da casa.

HuTi2UtFF31u4hcJc7sLITUVOXkJfOneQ9p5du7i6r4=
Oficina Bar

Mas um dia é muito pouco nessa cidade que vibra durante o dia e pulsa à noite. Como opções do que fazer não faltam, seguem mais umas dicas valiosas.

Tem que dar uma volta pelo calçadão da cidade, é lindo! Lá tem réplicas das cabines telefônicas de Londres que dão um charme à cidade. Os táxis são vermelhos, coisa mais linda! Dá até vontade de deixar o Cabify de lado um pouquinho. Rs

img_6316
Calçadão de Londrina

Outro lugar que vale a pena dar uma passada é a praça Tomi Nakagawa, uma praça com decoração japonesa que faz referência à imigração na cidade. O nome é uma homenagem à Tomi Nakagawa, última sobrevivente do navio Kasato Maru, primeira embarcação com imigrantes japoneses a aportar em Santos, São Paulo, em 1908. Tomi morou em Londrina e faleceu em 2006.

img_5518
Praça Tomi Nakagawa

Para quem, assim como eu, não dispensa uma cerveja gelada e barata: Maria Vai Cazoutras Lounge Bar. É um bar friendly super gostosinho e aconchegante, e ainda tem ótimas opções de tira-gostos pra acompanhar, como a calabresa acebolada (salivei aqui kkk).

Tem que experimentar: bolinho de feijoada recheado com queijo no Confraria 115 (mais um bar 😅). Lá tem outras inúmeras opções de bolinhos que são uma experiência gastronômica, digamos assim rs.

Calma que também tem night gay, tem o Narciso Club e NY lounge. Me pareceram boas opções, mas como não tive tempo de ir, não posso falar muito. Mas estão na lista pra próxima parada em Londrina.

Se o seu negócio é fazer shopping, se joga no Catuaí Shopping. Opção é o que não falta por lá. Aproveite para assistir um filme com pipoca na sala VIP do cinema, garanto que não vai querer que o filme acabe nunca mais (mesmo sendo ruim 😅).

E se tiver com um tempinho sobrando, vá conhecer Rolândia, uma cidadezinha super charmosa a 22km de Londrina. Dá para ir de carro, de uber e até de ônibus. Lá, visite a igreja São Rafael (a estradinha até lá é simplesmente maravilhosa) e a Chácara Rolândia, que fica logo na entrada da cidade. Parada obrigatória pro almoço no Supermercado Juliana. Um self-service a kg maravilhoso. Antes de voltar para Londrina, passe na padaria Roland e peça um croissant pra viagem. Fico com água na boca só de lembrar! Ou se preferir, coma um lanche prensado na Shanduella. O de frango acebolado é de comer rezando! Vale cada caloria. Taí mais uma comidinha ma-ra-vi-lho-sa de Rolândia.

Portal icônico de Rolândia

Obrigado, Londrina e Rolândia! Até a próxima! ❤️

Como dar um pé na bunda

Nem sempre a gente é a bunda, né mores… Às vezes somos o pé na bunda de alguém, acontece… rs Ainda bem! (Ou não 😂) Dar um pé na bunda também pode ser uma tarefa muito difícil, na verdade eu não sei o que é mais difícil, levar um pé ou dar um pé. Acho que depende da situação, da pessoa… Cada caso é um caso né… Há quem prefira que terminem com eles do que ter que terminar uma relação, e vice versa. Mas enfim, vamos ao que interessa. Só existem duas maneiras de se fazer isso de forma menos traumática.

1) A primeira delas, converse. Tudo se resolve conversando. Se não está bom, se não quer mais, se conheceu alguém novo, o que quer que seja, chame a pessoa e converse. Seja franco(a) e honesto(a) (com o outro e com você). Colocar as cartas na mesa é sempre a melhor opção. De preferência pessoalmente, ok? Não se termina uma relação por mensagem de texto ou ligação. Não seja cuzão. Lembre-se que quando você vai terminar uma relação, é muito importante explicar o que está sentindo e ouvir o que o outro está sentindo. O olho no olho ainda é a melhor forma de fazer isso.

Dicas importantes:

  • Prepare o terreno. Antes de partir para a conversa final, dê indícios de que as coisas não estão bem. Demonstre aos poucos que você não está satisfeito(a).
  • Escolha um território neutro. Sim, o local do término faz toda a diferença. Tem que ser reservado.
  • Defina como será a relação entre vocês dali em diante, para que não ocorra situações desagradáveis e/ou constrangedoras.
  • Ponto final é ponto final. Nada dessa coisa de ‘ai, vamos dar um tempo e blá blá blá’, não!

 

2) Em último caso (só em último mesmo!), faça a pessoa terminar com você. Não acho uma boa opção, mas é uma para quem é covarde o suficiente ou por algum motivo muito forte não consegue colocar um ponto final na relação. Como eu disse, cada caso é um caso né, não podemos julgar. Então dê motivos para a pessoa terminar com você, em outras palavras, seja um cuzão. 😔 Assim a pessoa vai te dar um pé (ou achar que deu) quando na verdade você quem deu.

Essa pode até vir a ser uma boa opção quando seu/sua parceiro(a) é muito apaixonado(a) por você e/ou é muito sensível e sentimental e vá ficar profundamente triste e arrasado(a) com o pé na bunda. Assim, essa seria uma forma de “minimizar os danos”, a pessoa ficaria melhor com ela mesma pensando que abandonou ao invés de ter sido abandonada. Mas não é muito honesto né, enfim… Nesse caso tem que colocar as coisas na balança e analisar. E provavelmente, ela vá acabar te odiando. rs

 

Atualmente, com a presença da tecnologia em nossas vidas, muitas vezes, nem existe o pé na bunda. As pessoas simplesmente somem e não respondem nunca mais. Essa é a pior forma de terminar uma relação. Não faça isso!!! Só demonstra desprezo pelos sentimentos alheios e o quanto você é covarde e incapaz de enfrentar desavenças e confrontos.

Vale lembrar que as tecnologias são uma continuidade da relação, e ignorar online é a mesma coisa do que ignorar alguém que está na sua frente. O quanto você gostaria se fizessem isso com você? Já parou pra pensar? 🤔

Colocar um ponto final em uma relação que não está boa se faz necessário, não tem porquê seguir com uma coisa que não está funcionando mais e que não tem mais salvação, então faça. Mas faça consciente e da melhor forma possível para ambos os lados. E vida que segue! Tá bem? Então tá bem! 🙂

Como superar um pé na bunda

Quem nunca levou um pé na bunda (ou fora, que seja), não é mesmo? Se não levou, provavelmente ainda vai levar… 😅 Enfim… Longe de mim querer cagar regras, mas reuni aqui algumas táticas que podem ajudar a enfrentar esse momento que costuma não ser dos mais agradáveis e fácies de lidar né… Afinal, superar é preciso.

  1. Primeira e mais óbvia, arrume outra pessoa. Aquela máxima de curar um amor com outro. Nem sempre/dependendo da situação não é a ideia mais indicada, você pode acabar se enrolando mais ainda, mas costuma funcionar. Ninguém é insubstituível, não mesmo, por mais que pareça. Coloque outra pessoa no lugar e vá ser (ou tentar ser) feliz novamente. Nota: não me responsabilizo por possíveis danos 😂
  2. Saia com os amigos, vá se divertir e se distrair. Aproveite que está sozinho(a) para reunir os amigos, reencontrar aqueles que não vê faz tempo… Amigos servem pra isso mesmo. E amigo que é amigo tá contigo nesse momento te dando força e te colocando pra cima, então se joga nos (bons) amigos!
  3. Meta o loko. Sim. Pode ser benéfico nesse momento. Se joga! Vá pra farra, pra balada, pra putaria. O corpo é seu, a vida é sua (e é curta) e você não deve nada pra ninguém. Tome um porre sim. Durma com desconhecidos sim. Mas só faça isso se for da sua vontade. Nunca para esquecer alguém, ok? E tudo com juízo e cuidado hein…
  4. Faça coisas que você gosta. Se permita. Não precisa ser nada grande. Se apegue às pequenas coisas (aproveite para valorizá-las). Faça uma lista de pequenos prazeres e coloque em ação. Tome um sorvete na segunda-feira, vá ao cinema na terça-feira (já experimentou fazer isso sozinho(a)? Caso não, essa é a hora!). Compre um presente pra você mesmo na quarta-feira, e aí por diante.
  5. Faça uma viagem. (Mais uma coisa que se não fez sozinho(a) ainda, não espere mais, faça!) Conhecer lugares novos é sempre bom, nesse momento então nem se fala! Tire uns dias para você e vai! Caso não tenha condições financeiras para tal ou não possa por algum outro motivo, como trabalho ou estudos, faça uma viagem sem sair do lugar. Sim, é possível. Escolha um destino no mundo e pesquise sobre ele, descubra. Leia livros e reportagens sobre aquele lugar, assista vídeos sobre. Hoje em dia com a internet é possível conhecer diversos lugares sem sair de casa. E quando tiver a oportunidade, conheça pessoalmente.
  6. Última, mas não menos importante, comece algo novo. Se matricule em algum curso que você tenha vontade de fazer, alguma aula que já tenha tido interesse e adiou… Tem sempre algo novo para aprender. Vá fazer uma aula de dança, uma luta, aprender um idioma novo, tocar um instrumento, aprender crochê… Nota: dá pra aprender coisas novas sem gastar dinheiro. Existem diversos tutorias na internet e apps que ensinam das mais variadas coisas.

Dicas extras: evite procurar saber do ex(u), nada de ficar stalkeando ele nas redes. Evite ir aos lugares que vocês iam juntos e/ou lugares que você sabe que vai encontrá-lo. Ok?

Resumindo… Se mantenha ocupado(a) com coisas que te dão prazer. Foque em você. Aproveite o momento para se conhecer melhor, para crescer e se amar mais. Use o término como incentivo para ficar mais bonito(a), e mostrar ao ex o que ele perdeu. aloka E como dizem por aí, segue o baile! A fila tem que andar, né mores? Tá bem? Então tá bem! 🙂

img_5360

3 produtos que mudaram minha vida

Ai que título mais escandaloso, exagerado e chamativo! Hahaha Mas sim, são três coisas simples que fizeram (e fazem) uma diferença enorme no meu dia a dia, e são tão boas que decidi compartilhar com vocês.

Vamos começar pelo mais simples, a escova dental Curaprox. Se você é como eu que sofre sofria com essas escovas de dente que te enganam e se dizem macias mas na hora H fazem um estrago na sua boca (se você está com pressa então pqp), essa dica é para você. E se você realmente pensa que essas escovas comuns são macias, você não conhece essa. Essa é A escova de dente, more. Sério, sem exagero nenhum, quando eu coloquei ela na boca pela primeira vez, eu me senti no céu, parecia que eu estava fazendo carinho nos meus dentes e gengiva. É essa a sensação. Não preciso falar mais nada né? Se você experimentar, não vai querer outra escova nunca mais. Ela tem um preço mais elevado devido ao fato de ser importada, mas o custo/benefício… Vale cada centavo! Você encontra nas grandes farmácias. Nota: eu frequentemente machucava minha gengiva ao escovar os dentes, isso nunca mais aconteceu.

img_2856
CURAPROX ultra soft

Esse é outro produto que veio para salvar a minha vida. Eu morro de preguiça de me cuidar, seja pele ou cabelo (e já gasto um tempinho cuidando do cabelo diariamente), não tenho a menor paciência pra ficar horas passando qualquer coisa e esperar meses por resultados. Se for creme então, tenho verdadeiro horror. Não uso. Mas a idade vai chegando e a gente começa a se preocupar, não é mesmo? E meus 30 já estão logo ali. Dali pros 40, um pulo! Então descobri (indicação do meu dermatologista rs) um jeito simples, rápido e fácil de cuidar do rosto: o Serum 10 da SkinCeuticals, uma vitamina C tópica que auxilia na prevenção do envelhecimento precoce e blá blá blá. Super simples de aplicar, basta pingar 4 gotas na palma da mão e espalhar pelo rosto. O melhor de tudo, é um líquido que seca na mesma hora, não é grudento e não tem cheiro ruim. Em menos de 30 segundos diários, problema resolvido. Adeus radicais livres! Preço um pouco salgado também, por ser importado, mas vale o investimento. Fácil de encontrar em qualquer boa farmácia. Vale consultar um dermatologista antes de usar.

img_2774
Serum 10

Último, porém não menos importante, o probiótico PB8. Para quem não sabe, os probióticos são bactérias benéficas que melhoram a saúde do intestino, facilitando a digestão e a absorção de nutrientes. Assim, ajuda o funcionamento intestinal e ainda fortalece o sistema imunológico, ajudando a prevenir doenças, como gripes e resfriados. PB8 é uma combinação de 8 cepas e 14 bilhões de bactérias naturalmente benéficas que promovem a digestão saudável, inibem o crescimento de bactérias prejudiciais e apoiam a função imunológica.

Por que fazer uso de um probiótico? Porque refeições calóricas, fast food, conservantes, açúcares refinados, tensão e alguns medicamentos afetam o equilíbrio interno de nosso corpo e a digestão.

É importado mas fácil de encontrar em lojas de produtos naturais e/ou lojas de suplementos e online. Custa em média R$ 150,00 com 120 cápsulas e dura longos 4 meses, se você tomar uma por dia (mais que suficiente). Vale consultar um nutricionista ou médico gastroenterologista antes de usar.

img_4348
PB8

Se você utiliza algum ou tem alguma dica, me conte nos comentários! 🙂

Fique solteiro por quanto tempo for necessário

Que eu defendo a solteirice e sou adepto da filosofia do “antes só que mal acompanhado” não é nenhuma novidade pra quem me acompanha aqui, já falei sobre isso aqui e aqui. Mas antes que me rotulem do que quer que seja, deixo claro que, assim como gosto de estar solteiro, também adoro estar em um relacionamento e acredito em amor sim, mas um relacionamento saudável e amor recíproco. Amar e ser amado é tão bom quanto se amar.

Para tal, temos que nos permitir experimentar, vivenciar novas experiências e estar aberto às possibilidades. E é exatamente sobre isso que fala o texto abaixo. Um texto simples e direto, que transcreve muito bem o que eu penso e acredito.

Você tem uma vida inteira para encontrar o amor da sua vida, fique solteiro por quanto tempo for necessário…

 

Se você encontrar alguém que o  faça  mais feliz do que tudo, que faça você querer se tornar uma versão melhor de si mesmo, crie uma conexão com essa pessoa e passe a eternidade ao lado dela.

Mas se você ainda não encontrou uma pessoa assim, então fique solteiro pelo tempo que precisar. Não tenha vergonha de dizer isso aos seus tios quando perguntarem sobre a sua vida amorosa. Não se sinta constrangido por ser  o único dos seus amigos que ainda não se casou. Não se iluda acreditando que você ficaria melhor se estivesse em um relacionamento com alguém.

É melhor ficar solteiro do que estar com alguém que leva horas para responder suas mensagens, ou alguém que pensa estar fazendo um favor ao lhe dar o mínimo de atenção que você merece e fica bravo contigo por cada pequena coisa que você faz.

Não fique com uma pessoa tóxica – ou alguém que é um amor de pessoa, mas você simplesmente não consegue sentir o mesmo e retribuir, espere. Espere um relacionamento onde os sentimentos são mútuos. Onde vocês dois estão loucos um pelo outro. Onde ambos podem imaginar um futuro que dura para sempre.

Você tem uma vida inteira a sua frente, tem tempo para perseguir seus sonhos. Agora é hora de formar novas amizades, hora de ganhar aquela promoção. E mais do que tempo suficiente para encontrar o amor da sua vida.

Você está autorizado a namorar por aí. Você está autorizado a beijar as pessoas erradas, a dormir com as pessoas erradas, a se comprometer com as pessoas erradas. Você está autorizado a se aventurar em diferentes relacionamentos, para ver que tipo de pessoas são certas para você e quais são completamente erradas. Você está autorizado a experimentar!

Mas você também está autorizado a ficar solteiro. Você está autorizado a escolher ficar em casa durante o fim de semana ou na cama durante as noites de baladas com os amigos. Você está autorizado a escolher você ao invés de encarar estranhos em um bar.

Você pode encontrar o amor da sua vida no seu próprio ritmo.

*Texto original de Holly Riordan