Precisamos falar de Dua Lipa

Na primeira vez que eu escutei uma música da Dua Lipa, não dei muita atenção. Eu apenas escutei, não ouvi. (É diferente, acredite.) Começou a tocar e meu amigo me disse: essa garota vai fazer muito sucesso. Achei ok, mas sabe quando a gente não dá muita bola? Então. Dias depois, estava de bobeira e resolvi ouvir de verdade. Não deu outra! Foi amor a primeira ouvida! kkk Então se você ainda não conhece a música dela e em um primeiro momento não curtir muito, eu te peço, ouça de novo! Vai por mim… Sei o que tô dizendo.

Dua Lipa é uma cantora e compositora inglesa de origem albanesa. Seu primeiro nome, Dua, significa amor em albanês. ❤ (Como não amar?) Sua carreira musical começou aos 14 anos, quando ela começou a fazer covers de músicas de artistas como Christina Aguilera e Nelly Furtado no YouTube. Inclusive tem covers maravilhosos dela no YouTube, como “Stay” da Rihanna e “The Hills” do The Weeknd, vale dar uma pesquisada.

Em 2015, Dua assinou contrato com a gravadora Warner Music e lançou diversos singles; e recentemente lançou seu primeiro álbum de estúdio autointitulado Dua Lipa. Ela descreve seu estilo musical como “dark pop” (pop sombrio, em tradução literal) ou “dance-crying” e também possui influências do hip hop em suas canções.

dua-lipa-big
Conhecida por sua potência vocal, Dua Lipa é um dos principais nomes do indie pop atual.

O disco possui 17 faixas (versão deluxe), entre elas as já divulgadas “Be The One”, “Hotter Than Hell”, “Blow Your Mind (Mwah)”, “Thinking About You”, “New Love”, e ainda a parceria com Miguel em “Lost In Your Light” e com Chris Martin, vocalista do Coldplay, em “Homesick” (sem palavras pra essa música ❤ ); com músicas que transitam entre a eletronic dance music e o dream pop, que garantem sons sintetizados e batidas eletrônicas, além de letras “chiclete”. É para ouvir no repeat mesmo!

A cantora publicou vídeos no YouTube para todas as 17 faixas do álbum e o definiu como um registro visual. Em entrevista ao The New York Times, ela falou sobre a essência de seu trabalho:

“Todas as coisas tristes que acontecem são as que ficam em minha mente por mais tempo, são as coisas que eu sinto que quero escrever. Mas, ao mesmo tempo, eu gosto de dançar. Então, há o encontro dessa mistura lírica entre o muito pessoal e o inspirado por eventos; e também poder ouvi-lo, dançar e não pensar sobre o que as letras significam.”

O melhor do álbum são os singles já lançados anteriormente, mas as demais faixas não deixam a desejar (não mesmo!). Dua entrega um álbum completo, redondo, que transita por diferentes lugares, mas tem foco e é de causar inveja às veteranas do pop. Na minha humilde opinião, Dua Lipa é um refresco no cenário pop atual e veio para salvá-lo da mesmice. Ela inclusive está na playlist da semana (e provavelmente estará nas próximas).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s