Como dar um pé na bunda

Nem sempre a gente é a bunda, né mores… Às vezes somos o pé na bunda de alguém, acontece… rs Ainda bem! (Ou não 😂) Dar um pé na bunda também pode ser uma tarefa muito difícil, na verdade eu não sei o que é mais difícil, levar um pé ou dar um pé. Acho que depende da situação, da pessoa… Cada caso é um caso né… Há quem prefira que terminem com eles do que ter que terminar uma relação, e vice versa. Mas enfim, vamos ao que interessa. Só existem duas maneiras de se fazer isso de forma menos traumática.

1) A primeira delas, converse. Tudo se resolve conversando. Se não está bom, se não quer mais, se conheceu alguém novo, o que quer que seja, chame a pessoa e converse. Seja franco(a) e honesto(a) (com o outro e com você). Colocar as cartas na mesa é sempre a melhor opção. De preferência pessoalmente, ok? Não se termina uma relação por mensagem de texto ou ligação. Não seja cuzão. Lembre-se que quando você vai terminar uma relação, é muito importante explicar o que está sentindo e ouvir o que o outro está sentindo. O olho no olho ainda é a melhor forma de fazer isso.

Dicas importantes:

  • Prepare o terreno. Antes de partir para a conversa final, dê indícios de que as coisas não estão bem. Demonstre aos poucos que você não está satisfeito(a).
  • Escolha um território neutro. Sim, o local do término faz toda a diferença. Tem que ser reservado.
  • Defina como será a relação entre vocês dali em diante, para que não ocorra situações desagradáveis e/ou constrangedoras.
  • Ponto final é ponto final. Nada dessa coisa de ‘ai, vamos dar um tempo e blá blá blá’, não!

 

2) Em último caso (só em último mesmo!), faça a pessoa terminar com você. Não acho uma boa opção, mas é uma para quem é covarde o suficiente ou por algum motivo muito forte não consegue colocar um ponto final na relação. Como eu disse, cada caso é um caso né, não podemos julgar. Então dê motivos para a pessoa terminar com você, em outras palavras, seja um cuzão. 😔 Assim a pessoa vai te dar um pé (ou achar que deu) quando na verdade você quem deu.

Essa pode até vir a ser uma boa opção quando seu/sua parceiro(a) é muito apaixonado(a) por você e/ou é muito sensível e sentimental e vá ficar profundamente triste e arrasado(a) com o pé na bunda. Assim, essa seria uma forma de “minimizar os danos”, a pessoa ficaria melhor com ela mesma pensando que abandonou ao invés de ter sido abandonada. Mas não é muito honesto né, enfim… Nesse caso tem que colocar as coisas na balança e analisar. E provavelmente, ela vá acabar te odiando. rs

 

Atualmente, com a presença da tecnologia em nossas vidas, muitas vezes, nem existe o pé na bunda. As pessoas simplesmente somem e não respondem nunca mais. Essa é a pior forma de terminar uma relação. Não faça isso!!! Só demonstra desprezo pelos sentimentos alheios e o quanto você é covarde e incapaz de enfrentar desavenças e confrontos.

Vale lembrar que as tecnologias são uma continuidade da relação, e ignorar online é a mesma coisa do que ignorar alguém que está na sua frente. O quanto você gostaria se fizessem isso com você? Já parou pra pensar? 🤔

Colocar um ponto final em uma relação que não está boa se faz necessário, não tem porquê seguir com uma coisa que não está funcionando mais e que não tem mais salvação, então faça. Mas faça consciente e da melhor forma possível para ambos os lados. E vida que segue! Tá bem? Então tá bem! 🙂

Como superar um pé na bunda

Quem nunca levou um pé na bunda (ou fora, que seja), não é mesmo? Se não levou, provavelmente ainda vai levar… 😅 Enfim… Longe de mim querer cagar regras, mas reuni aqui algumas táticas que podem ajudar a enfrentar esse momento que costuma não ser dos mais agradáveis e fácies de lidar né… Afinal, superar é preciso.

  1. Primeira e mais óbvia, arrume outra pessoa. Aquela máxima de curar um amor com outro. Nem sempre/dependendo da situação não é a ideia mais indicada, você pode acabar se enrolando mais ainda, mas costuma funcionar. Ninguém é insubstituível, não mesmo, por mais que pareça. Coloque outra pessoa no lugar e vá ser (ou tentar ser) feliz novamente. Nota: não me responsabilizo por possíveis danos 😂
  2. Saia com os amigos, vá se divertir e se distrair. Aproveite que está sozinho(a) para reunir os amigos, reencontrar aqueles que não vê faz tempo… Amigos servem pra isso mesmo. E amigo que é amigo tá contigo nesse momento te dando força e te colocando pra cima, então se joga nos (bons) amigos!
  3. Meta o loko. Sim. Pode ser benéfico nesse momento. Se joga! Vá pra farra, pra balada, pra putaria. O corpo é seu, a vida é sua (e é curta) e você não deve nada pra ninguém. Tome um porre sim. Durma com desconhecidos sim. Mas só faça isso se for da sua vontade. Nunca para esquecer alguém, ok? E tudo com juízo e cuidado hein…
  4. Faça coisas que você gosta. Se permita. Não precisa ser nada grande. Se apegue às pequenas coisas (aproveite para valorizá-las). Faça uma lista de pequenos prazeres e coloque em ação. Tome um sorvete na segunda-feira, vá ao cinema na terça-feira (já experimentou fazer isso sozinho(a)? Caso não, essa é a hora!). Compre um presente pra você mesmo na quarta-feira, e aí por diante.
  5. Faça uma viagem. (Mais uma coisa que se não fez sozinho(a) ainda, não espere mais, faça!) Conhecer lugares novos é sempre bom, nesse momento então nem se fala! Tire uns dias para você e vai! Caso não tenha condições financeiras para tal ou não possa por algum outro motivo, como trabalho ou estudos, faça uma viagem sem sair do lugar. Sim, é possível. Escolha um destino no mundo e pesquise sobre ele, descubra. Leia livros e reportagens sobre aquele lugar, assista vídeos sobre. Hoje em dia com a internet é possível conhecer diversos lugares sem sair de casa. E quando tiver a oportunidade, conheça pessoalmente.
  6. Última, mas não menos importante, comece algo novo. Se matricule em algum curso que você tenha vontade de fazer, alguma aula que já tenha tido interesse e adiou… Tem sempre algo novo para aprender. Vá fazer uma aula de dança, uma luta, aprender um idioma novo, tocar um instrumento, aprender crochê… Nota: dá pra aprender coisas novas sem gastar dinheiro. Existem diversos tutorias na internet e apps que ensinam das mais variadas coisas.

Dicas extras: evite procurar saber do ex(u), nada de ficar stalkeando ele nas redes. Evite ir aos lugares que vocês iam juntos e/ou lugares que você sabe que vai encontrá-lo. Ok?

Resumindo… Se mantenha ocupado(a) com coisas que te dão prazer. Foque em você. Aproveite o momento para se conhecer melhor, para crescer e se amar mais. Use o término como incentivo para ficar mais bonito(a), e mostrar ao ex o que ele perdeu. aloka E como dizem por aí, segue o baile! A fila tem que andar, né mores? Tá bem? Então tá bem! 🙂

img_5360

3 produtos que mudaram minha vida

Ai que título mais escandaloso, exagerado e chamativo! Hahaha Mas sim, são três coisas simples que fizeram (e fazem) uma diferença enorme no meu dia a dia, e são tão boas que decidi compartilhar com vocês.

Vamos começar pelo mais simples, a escova dental Curaprox. Se você é como eu que sofre sofria com essas escovas de dente que te enganam e se dizem macias mas na hora H fazem um estrago na sua boca (se você está com pressa então pqp), essa dica é para você. E se você realmente pensa que essas escovas comuns são macias, você não conhece essa. Essa é A escova de dente, more. Sério, sem exagero nenhum, quando eu coloquei ela na boca pela primeira vez, eu me senti no céu, parecia que eu estava fazendo carinho nos meus dentes e gengiva. É essa a sensação. Não preciso falar mais nada né? Se você experimentar, não vai querer outra escova nunca mais. Ela tem um preço mais elevado devido ao fato de ser importada, mas o custo/benefício… Vale cada centavo! Você encontra nas grandes farmácias. Nota: eu frequentemente machucava minha gengiva ao escovar os dentes, isso nunca mais aconteceu.

img_2856
CURAPROX ultra soft

Esse é outro produto que veio para salvar a minha vida. Eu morro de preguiça de me cuidar, seja pele ou cabelo (e já gasto um tempinho cuidando do cabelo diariamente), não tenho a menor paciência pra ficar horas passando qualquer coisa e esperar meses por resultados. Se for creme então, tenho verdadeiro horror. Não uso. Mas a idade vai chegando e a gente começa a se preocupar, não é mesmo? E meus 30 já estão logo ali. Dali pros 40, um pulo! Então descobri (indicação do meu dermatologista rs) um jeito simples, rápido e fácil de cuidar do rosto: o Serum 10 da SkinCeuticals, uma vitamina C tópica que auxilia na prevenção do envelhecimento precoce e blá blá blá. Super simples de aplicar, basta pingar 4 gotas na palma da mão e espalhar pelo rosto. O melhor de tudo, é um líquido que seca na mesma hora, não é grudento e não tem cheiro ruim. Em menos de 30 segundos diários, problema resolvido. Adeus radicais livres! Preço um pouco salgado também, por ser importado, mas vale o investimento. Fácil de encontrar em qualquer boa farmácia. Vale consultar um dermatologista antes de usar.

img_2774
Serum 10

Último, porém não menos importante, o probiótico PB8. Para quem não sabe, os probióticos são bactérias benéficas que melhoram a saúde do intestino, facilitando a digestão e a absorção de nutrientes. Assim, ajuda o funcionamento intestinal e ainda fortalece o sistema imunológico, ajudando a prevenir doenças, como gripes e resfriados. PB8 é uma combinação de 8 cepas e 14 bilhões de bactérias naturalmente benéficas que promovem a digestão saudável, inibem o crescimento de bactérias prejudiciais e apoiam a função imunológica.

Por que fazer uso de um probiótico? Porque refeições calóricas, fast food, conservantes, açúcares refinados, tensão e alguns medicamentos afetam o equilíbrio interno de nosso corpo e a digestão.

É importado mas fácil de encontrar em lojas de produtos naturais e/ou lojas de suplementos e online. Custa em média R$ 150,00 com 120 cápsulas e dura longos 4 meses, se você tomar uma por dia (mais que suficiente). Vale consultar um nutricionista ou médico gastroenterologista antes de usar.

img_4348
PB8

Se você utiliza algum ou tem alguma dica, me conte nos comentários! 🙂

Fique solteiro por quanto tempo for necessário

Que eu defendo a solteirice e sou adepto da filosofia do “antes só que mal acompanhado” não é nenhuma novidade pra quem me acompanha aqui, já falei sobre isso aqui e aqui. Mas antes que me rotulem do que quer que seja, deixo claro que, assim como gosto de estar solteiro, também adoro estar em um relacionamento e acredito em amor sim, mas um relacionamento saudável e amor recíproco. Amar e ser amado é tão bom quanto se amar.

Para tal, temos que nos permitir experimentar, vivenciar novas experiências e estar aberto às possibilidades. E é exatamente sobre isso que fala o texto abaixo. Um texto simples e direto, que transcreve muito bem o que eu penso e acredito.

Você tem uma vida inteira para encontrar o amor da sua vida, fique solteiro por quanto tempo for necessário…

 

Se você encontrar alguém que o  faça  mais feliz do que tudo, que faça você querer se tornar uma versão melhor de si mesmo, crie uma conexão com essa pessoa e passe a eternidade ao lado dela.

Mas se você ainda não encontrou uma pessoa assim, então fique solteiro pelo tempo que precisar. Não tenha vergonha de dizer isso aos seus tios quando perguntarem sobre a sua vida amorosa. Não se sinta constrangido por ser  o único dos seus amigos que ainda não se casou. Não se iluda acreditando que você ficaria melhor se estivesse em um relacionamento com alguém.

É melhor ficar solteiro do que estar com alguém que leva horas para responder suas mensagens, ou alguém que pensa estar fazendo um favor ao lhe dar o mínimo de atenção que você merece e fica bravo contigo por cada pequena coisa que você faz.

Não fique com uma pessoa tóxica – ou alguém que é um amor de pessoa, mas você simplesmente não consegue sentir o mesmo e retribuir, espere. Espere um relacionamento onde os sentimentos são mútuos. Onde vocês dois estão loucos um pelo outro. Onde ambos podem imaginar um futuro que dura para sempre.

Você tem uma vida inteira a sua frente, tem tempo para perseguir seus sonhos. Agora é hora de formar novas amizades, hora de ganhar aquela promoção. E mais do que tempo suficiente para encontrar o amor da sua vida.

Você está autorizado a namorar por aí. Você está autorizado a beijar as pessoas erradas, a dormir com as pessoas erradas, a se comprometer com as pessoas erradas. Você está autorizado a se aventurar em diferentes relacionamentos, para ver que tipo de pessoas são certas para você e quais são completamente erradas. Você está autorizado a experimentar!

Mas você também está autorizado a ficar solteiro. Você está autorizado a escolher ficar em casa durante o fim de semana ou na cama durante as noites de baladas com os amigos. Você está autorizado a escolher você ao invés de encarar estranhos em um bar.

Você pode encontrar o amor da sua vida no seu próprio ritmo.

*Texto original de Holly Riordan

Vive melhor quem sabe a hora de se afastar…

Uma monótona tarde de domingo como outra qualquer, estava eu com uma leve ressaca, navegando na internet, quando me deparei com esse texto foda; então resolvi compartilhar com vocês esse tapa na cara. Leitura necessária para quem, assim como eu, é apegado (seja às pessoas, às coisas ou aos momentos), para quem se humilha pro boy lixo e/ou amigo lixo e para todas as outras pessoas que, às vezes, colocam o amor próprio no bolso.

“Você tem que aprender a levantar-se da mesa quando o amor não estiver mais sendo servido.” (Nina Simone)

E então o tempo passa e tudo começa a ficar diferente do que era antes. As pessoas mudam, outras vão embora, os ambientes tomam outras formas, o mundo renova-se e, ali no meio disso tudo, ficamos nós, tentando nos equilibrar nesta corda bamba que é a vida. Talvez por conta desse exterior em constante mudança, sempre imprevisível, tentamos manter as coisas em ordem perto de nós, como se precisássemos de alguma constância em meio a essa vida que chacoalha sem parar.

Infelizmente, se nos prendermos a coisas e pessoas, depositando-lhes toda carga de responsabilidade sobre nosso equilíbrio, necessitando de que tudo fique como e onde está, sempre, apesar de tudo, haja o que houver, muito provavelmente estaremos condenados a nos decepcionar fortemente. Haverá momentos em que tudo o que parecia certo se desmorona e nada volta a ser como antes nem ninguém será como já foi um dia. Para então sobrevivermos, teremos que ir, teremos que deixar ir, sejam os momentos, sejam as coisas, as pessoas, os sentimentos.

Teremos que perceber quando não formos mais parte de certos lugares, quando não mais precisarem de nós ali, quando nossa presença não for requisitada, quando nosso amor não mais encontrar terreno afetivo ao lado de quem foge ao nosso olhar. Porque haverá ambientes que ficarão melhor sem nossa presença, haverá pessoas que desejarão nossa distância, haverá vidas correndo com tranquilidade longe de nós. Ainda que não seja fácil, será preciso nos afastar do que e de quem já caminha longe da gente.

tumblr_m6jpyzn5sq1ql13bzo1_500_large

Na verdade, mesmo que leve um tempo, acabaremos chegando à conclusão de que tudo o que não nos requer e todos que não nos chamam mais não nos farão falta alguma, pois o que não carrega reciprocidade não vinga, não floresce, nada oferta nem acrescenta. Ficaremos bem melhor longe do que não nos recebia com verdade. Muitas vezes, até, nosso afastamento será providencial para que nossa ausência traga clareza quanto à importância que temos, fazendo com que voltemos mais fortes junto ao que era incerto e já não é mais.

Como se vê, embora relutemos muito em nos desprender de algumas coisas e de certas pessoas que temos como imprescindíveis, tomarmos a atitude de nos afastar do que já transbordou para o lado errado, do que sufoca e apaga o nosso sorriso, de quem mal nos percebe e pouco se importa, acabará por nos poupar de machucados e dissabores, pois é assim que tomaremos de volta nosso amor-próprio, é assim que saberemos nos valorizar antes de tudo. Sofrer com as rupturas nos fortalece e passa; sofrer sem ter coragem de sair daquilo que causa dor nos diminui e não tem fim. A escolha é só nossa.

*Texto de Marcel Camargo

 

Saber a hora de fechar uma porta e abrir uma janela, muitas vezes, se faz necessário. Tudo muda o tempo todo. Não há nada que dure para sempre, por mais que a gente queira. Tomar decisões nem sempre é uma tarefa fácil, mas permanecer e insistir no erro pode ser letal. É preciso coragem para se abrir ao novo. Uma vez uma senhora me disse: “Nunca se esqueça que aquilo que está por vir será sempre melhor do que aquilo que já foi.” É isso, eu sigo acreditando… Cada dia mais.

Medo de ficar sozinho

Dias atrás estava num bar com amigos jogando conversa fora quando um deles disse que não entendia por que eu estava sozinho. Citou mil e uma qualidades minhas e me questionou por que eu não namorava e se eu não tinha medo de ficar sozinho.

Sem hesitar, eu respondi que não. Ele ficou surpreso e quis saber por quê. Se você também não entende como alguém não tem medo de ficar sozinho, vou lhe explicar. Pelo simples fato de que eu fico super bem sozinho, eu adoro a minha companhia. Sou adepto da velha filosofia do “antes só que mal acompanhado”, sabe? Acho que se você está com alguém que não te valoriza, que fica fazendo joguinho, que tira sua paz, não vale a pena. Se eu for ficar com alguém, tem que ser alguém que vá agregar, que vá somar. Alguém tão intenso como eu, que não seja pouco, que me faça transbordar. Sentimentos por migalhas não me atraem. E enquanto essa pessoa não aparece, eu fico muito bem comigo mesmo. E se essa pessoa não aparecer, tudo bem também. Sigo completo.

Você deve estar pensando, “nossa, que autossuficiente…” Talvez sim, talvez não. A questão é se conhecer, se amar, se respeitar, ter consciência de que a sua felicidade só depende de você, e vem de dentro. De dentro de você. A gente tem que aprender a ser feliz sozinho, porque só assim vamos ser felizes com alguém. Então a companhia alheia será questão de escolha e não uma necessidade. Eu sou a minha melhor companhia. Seja a sua também.

Mas se você tem esse medo, tudo bem. Normal. Eu também já tive. Acredito que a maioria das pessoas tenha. Até porque dizem muito por aí que “é impossível ser feliz sozinho”… A gente acaba acreditando.

26 motivos para agradecer

Ontem foi dia de soprar as velinhas! E dessa vez soprei nada mais, nada menos que 26!!! Sim, 26 primaveras, outonos, invernos e verões! A idade chega para todas, manas… 😂

Mais um ano, mais um ciclo que se fecha e outro que se inicia. 26 anos de vida, de experiências intensas, e tudo que eu quero é agradecer. Nesse último ano muita coisa aconteceu (boas e ruins) e a gratidão foi o maior aprendizado. Agradecer sempre, por tudo. Pelas coisas boas e principalmente pelas ruins, porque são com elas que crescemos e aprendemos a valorizar os bons momentos. Seguem então 26 motivos para agradecer:

1. A Deus por ter me dado a vida;

2. Pela minha saúde que me possibilita realizar tudo o que eu quiser;

3. Pela minha família que está sempre presente e disposta a ajudar;

4. Pela minha irmã que me dá forças para seguir em frente todos os dias;

5. Pelo alimento que nunca me faltou;

6. Pelos amigos que tenho e ainda terei nesta vida, que me impulsionam, mesmo à distância;

7. Pelos inúmeros privilégios que tive e tenho, que me proporcionam experiências e oportunidades únicas;

8. Pelos traumas de infância e pelos perrengues que me tornaram mais forte;

9. Pelas escolhas erradas que me ensinaram tanto;

10. Pela capacidade de reconhecer o que é o certo e o que é o bom, e reconhecer um erro e aprender com ele;

11. Pela esperança de um mundo melhor;

12. Pelas más pessoas que passaram pela minha vida e me ensinaram a não ser como elas;

13. Pela minha coragem, que me ajuda a encarar novos caminhos e não desistir nunca;

14. Pela insistência em realizar meus sonhos e não desistir facilmente deles;

15. Pelos lugares que já conheci, e pelos quais ainda irei conhecer;

16. Pelas minhas paixões na vida, que me dão fôlego para continuar, muitas vezes, remando contra a maré;

17. Pelos filmes, músicas e livros que preenchem muitos dos meus vazios;

18. Pelos amores que já vivi;

19. Pelos amores que ainda viverei;

20. Pelos sorrisos que já dei e ainda darei;

21. Pelas lágrimas que já derramei por alegrias;

22. Pelas lágrimas que derramei por tristezas;

23. Pelas lágrimas que derramei por besteiras;

24. Por estar em constante evolução e aprendizado;

25. Por essa vontade louca de ser cada dia mais feliz;

26. Pelos desafios, que são muitos, para o próximo ano.

Muito, muito obrigado! ❤

dinamica-da-gratidao.-660x321